Sondagem industrial revela queda de produção e emprego em fevereiro

Dados da pesquisa Sondagem Industrial, divulgada no dia 17 pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), revelam que a atividade e o emprego na indústria tiveram nova queda em fevereiro. Enquanto o índice da evolução da produção assinalou 42,2 pontos, o indicador de evolução do número de empregados registrou 42,8 pontos. Os índices variam de zero a cem pontos e valores abaixo dos 50 pontos indicam retração da atividade e do emprego.

Em fevereiro, a indústria operou, em média, com 62% da capacidade instalada e se manteve no piso da série histórica. Na comparação com fevereiro de 2015, o percentual ficou quatro pontos percentuais menor. De acordo com a CNI, os estoques permaneceram no nível planejado, cujo índice foi de 49,7 pontos. As grandes empresas continuaram com estoques acima do planejado em fevereiro, com índice de 54,2 pontos.

Embora o pessimismo tenha se reduzido na comparação com fevereiro, as perspectivas dos empresários em março para os próximos seis meses continuam negativas. Enquanto o índice de expectativa de demanda subiu de 45,6 pontos para 46,9 pontos no período, o de compras de matérias-primas foi de 43,6 pontos para 45,2 pontos. As perspectivas para o número de empregados melhoraram de forma mais lenta: subiu de 42,1 pontos (janeiro) para 43 pontos (fevereiro).

Ainda de acordo com a CNI, os empresários estão confiantes apenas em relação ao aumento das vendas externas. O índice de expectativa de quantidade exportada, embora tenha recuado 0,9 ponto em março frente a fevereiro, registrou 52,6 pontos. A Sondagem foi realizaa entre os dias 1º e 10 de março junto a 2.391 empresas, das quais 1.023 são pequenas, 837 são médias e 531 de grande porte.

Fonte: CBIC