Sinduscon-MG faz balanço do setor da Construção e do mercado imobiliário em 2016

Na última segunda-feira, o Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG) concedeu uma entrevista coletiva à imprensa para detalhar o desempenho do setor da construção em 2016 e as perspectivas para o próximo ano. No encontro com os jornalistas, o presidente Andre de Sousa Lima Campos destacou que prefeituras e o Estado precisam reduzir a burocracia.

Segundo André Campos, a morosidade na aprovação e concessão de licenças para empreendimentos está prejudicando o setor da Construção e aumentando a crise econômica em Minas. Somente em Belo Horizonte, projetos que estão parados aguardando liberação contemplam quase 16 mil unidades habitacionais e cujas obras gerariam cerca de 55 mil empregos diretos e indiretos.

No coletiva também foram divulgados a nova pesquisa do mercado imobiliário. O levantamento realizado pela Brain mostrou que de janeiro a outubro de 2016 foram lançadas 1.943 unidades habitacionais em Belo Horizonte e Nova Lima e foram 2.698 apartamentos novos comercializados no mesmo período, o que provocou uma redução nos estoques. De acordo com o vice-presidente da Área Imobiliária do Sinduscon-MG, José Francisco Couto de Araújo Cançado, os números demostram que o mercado está em equilíbrio.

Já o 1º vice-presidente do Sinduscon-MG, Geraldo Jardim Linhares Junior, reforçou que o Estado e o País precisam avançar em políticas econômicas sólidas e de longo prazo. O dirigente também lembrou que é preciso uma agenda conjunta dos governos estadual e federal.

Também participaram da entrevista coletiva a assessora Econômica do Sinduscon-MG, Ieda Vasconcelos, e o economista e coordenador sindical do Sinduscon-MG, Daniel Furletti, que detalharam os números do setor e analisaram a conjuntura setorial e macroeconômica.

Associados e parceiros do Sinduscon-MG podem fazer o login no site e, na Área do Associado, na seção Pesquisas, acessar o Balanço Sinduscon-MG da Construção 2016 na subseção Estudos Econômicos e os dados de Belo Horizonte, Nova Lima, Betim, Contagem e Santa Luzia na subseção Pesquisa Mercado Imobiliário.

Fonte: Sinduscon-MG