Medida de financiamento não anima construtoras

A redução do limite para financiamento de imóveis usados, anunciada nesta segunda (28) pela Caixa Econômica como medida para alavancar a comercialização de imóveis novos e favorecer a construção, não irá recuperar o desempenho do setor nem o índice de emprego.

A avaliação é do presidente do SindusCon-SP (sindicato da indústria da construção), José Romeu Ferraz Neto.

“Nosso problema é mais sério. [A iniciativa] ajuda, mas não é a solução. O entrave é conjuntural”, disse.

“Quando o país vai bem, com juros convenientes, cria-se um ambiente natural de confiança e as pessoas assumem o compromisso de comprar um imóvel. Não é preciso nem que a economia volte a crescer, mas, sim que haja confiança do consumidor.”

A situação do segmento vem piorando desde o fim do ano passado.

Levantamento do sindicato, feito em parceria com a FGV, aponta que houve uma retração de 8,36% no número de empregados na construção no país nos últimos 12 meses encerrados em março. Foram fechadas 296,9 mil vagas no período.

Na comparação com fevereiro, o recuo foi de 0,68% -o sexto consecutivo.

“O governo tem condições de tomar ações que amenizem essa queda. Pode, por exemplo, colocar o Minha Casa Minha Vida 3 para funcionar e também ampliar as obras públicas, que não dependem tanto da demanda do consumidor.”

Centro-Oeste e Nordeste foram as regiões que registraram os piores resultados nos últimos 12 meses -redução de 15,7% e 10,81% nos postos.

Fonte: CBIC