Mão de obra da construção civil em JF sofre reajuste

O Sindicato da Indústria da Construção Civil de Juiz de Fora (Sinduscon/JF) divulgou o índice de 1,94%, relativo ao Custo Unitário Básico da Construção (CUB/m²) do mês de maio. No mês de abril, a alteração foi 0,56%.

O aumento do número foi relativo ao valor dos materiais, que ficou mais caro no mês de maio, e ao aumento do preço da mão de obra que, até então se mantinha estável. No custo final do valor da construção civil em maio, 51,25% é referente à mão de obra, 45,23% aos materiais, 2,72% às despesas administrativas e 0,84% aos equipamentos.

Para o presidente do Sindicato da Construção Civil de Juiz de Fora (Sinduscon/JF), Leomar Delgado, o aumento do valor da mão de obra já é reflexo da assinatura da convenção coletiva de trabalho, que deve acontecer em breve. “Para não sofrer grandes alterações depois da assinatura da convenção, alguns empresários preferiram antecipar o reajuste. O resultado do CUB deste mês reflete exatamente este posicionamento”, explicou.

Na pesquisa, os materiais que apresentaram aumento foram o concreto, com variação de 0,72%; o cimento, com variação de 2,26%; a brita, com variação de 4,05%; o bloco cerâmico, com variação de 4,55%; a telha ondulada de fibrocimento, com variação de 6,25%; a placa cerâmica, com variação de 5,15%; o disjuntor tripolar, com variação de 0,92%; a bacia sanitária, com variação de 3,66%; o tubo de ferro galvanizado, com variação de 0,55; tubo de PVC, com variação de 3,54%. O custo do pedreiro aumentou 2,67% e o do servente 3,25%.

Dentre os produtos que sofreram queda no preço estão a chapa compensado, com -0,08%; a areia média, com -3,51%; a porta interna semi-oca, com -3,23%; a tinta látex, com -0,41 e o registro de pressão, com -1,20%.

Assessoria de Comunicação: ETC Comunicação – 3212-0680