Indústria da construção fecha semestre com 40% de ociosidade

A pesquisa Sondagem Indústria da Construção do mês de junho, levantada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) entre 1º e 13 de julho com 607 empresas do segmento, mostra que o cenário negativo persiste em junho. Os indicadores de nível de atividade e do número de empregados ficaram em 37,5 pontos e 35,9 pontos, permanecendo abaixo dos 50 pontos, o que significa queda da atividade e do emprego em comparação com o mês anterior. O índice varia de zero a cem pontos.

A Utilização da Capacidade de Operação (UCO) fechou o mês de junho em 60%, 1 ponto percentual inferior ao registrado em maio e 9 pontos percentuais abaixo de junho de 2014. O que significa que 40% do parque industrial do setor está ocioso.

Os empresários acreditam que a alta carga tributária, as elevadas taxas de juros e a inadimplência dos clientes foram as três principais barreiras enfrentadas pela indústria no segundo trimestre. Os problemas foram citados por 35,4%, 35% e 30,5% dos entrevistados – foi solicitado que apontassem até três itens, por isso a soma dos percentuais supera 100%. Em quarto e quinto lugar aparecem a demanda interna insuficiente (27,6%) e a falta de capital de giro (27,2%).

Fonte: CBIC