Indústria brasileira reduz produção e emprego

A produção e o emprego caíram e a ociosidade da indústria brasileira aumentou em dezembro. O índice de evolução da produção ficou em 41,2 pontos e o de evolução do número de empregados diminuiu para 47,4 pontos, informa a Sondagem Industrial de dezembro de 2012, divulgada nesta terça-feira, 29 de janeiro pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores variam de zero a cem. Valores abaixo de 50 mostram queda na produção e no emprego.

Conforme a pesquisa, a utilização da capacidade instalada efetiva em relação ao usual caiu para 42,2 pontos em dezembro. O indicador está abaixo dos 50 pontos desde dezembro de 2010. A ociosidade foi maior nas médias empresas, nas quais a utilização da capacidade instalada em relação ao usual ficou em 41,1 pontos.

“Dezembro é, tradicionalmente, um mês de baixa produção na indústria. Mas em 2012 tivemos o pior dezembro depois da crise de 2008”, disse o gerente executivo da Unidade de Pesquisa Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco. “Isso indica que não há uma trajetória sólida de recuperação da indústria”, observou Castelo Branco.

Ainda em dezembro, a indústria manteve os estoques ajustados pelo quarto mês consecutivo. O indicador de nível de estoques ficou em 48,4 pontos e o estoque efetivo em relação ao usual alcançou 50,4 pontos. Os valores variam de zero a cem. Acima de 50 indicam crescimento dos estoques além do planejado.

“A demora no ajustamento dos estoques contribuiu negativamente sobre as condições financeiras das empresas e dificultou a recuperação da atividade industrial. A indústria registra impactos negativos em sua lucratividade e dificuldade de acesso ao crédito”, avalia a pesquisa da CNI. O indicador de margem de lucro ficou em 44,9 pontos e o de acesso ao crédito em 43,7 pontos.

PERSPECTIVAS FUTURAS – Apesar da retração da atividade, os industriais estão otimistas com o futuro. Em janeiro, o indicador de expectativa dos empresários com a demanda para os próximos seis meses ficou em 58,4 pontos, acima do registrado em janeiro de 2011 e de 2012.

O indicador de expectativas com a quantidade exportada alcançou 51,8 pontos. Além disso, os empresários pretendem aumentar as contratações e as compras de matérias-primas. O índice de expectativa do número de empregados subiu para 52,3 pontos e o de compras aumentou para 55,8 pontos. Os indicadores de expectativa variam de zero a cem. Valores acima de 50 indicam expectativas positivas.

A Sondagem Industrial da CNI foi feita entre 7 e 17 de janeiro com 1.751 indústrias de todo o país, das quais 609 são pequenas, 691 médias e 451 grandes.

Fonte: Portal da Idústria