Indicadores do Mercado Imobiliário Nacional podem contribuir para formulação de políticas públicas

A avaliação de cenários e tendências para orientar a tomada correta de decisões e investimentos em novos de produtos. Com esse objetivo a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) apresentou indicadores nacionais que medem a evolução dos lançamentos e vendas dos empreendimentos imobiliários residenciais. A variedade e dispersão da oferta no mercado passam agora a ser disponibilizados, a cada trimestre, por um padrão nacional de indicadores do mercado imobiliário. “Os índices que estamos apresentando hoje fazem parte de um antigo projeto nosso e representam a contribuição que o setor pode dar para o planejamento das empresas, e principalmente, para formulação de políticas públicas”, disse o presidente da CBIC, José Carlos Martins.

A primeira rodada do levantamento, Índices para o Mercado Imobiliário, é resultado de pesquisa envolvendo algumas das 20 principais cidades e regiões metropolitanas brasileiras. Coordenado pelo economista chefe do SECOVI-SP, Celso Petrucci, com a correalização do Senai Nacional, o trabalho traduz os dados das pesquisas realizadas por essas localidades, a partir de uma metodologia padrão. “Hoje temos como olhar o que aconteceu em termos de vendas, lançamentos e oferta. Isso é muito importante para a gestão dos nossos negócios, principalmente para empresas que atuam nacionalmente”, afirmou o presidente da Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da CBIC, Flávio Domingos Prando.

No documento foram apresentados os números de lançamentos e de vendas; o desempenho do setor segundo o preço médio da área privativa por região; a velocidade de vendas; e o Valor Geral de Vendas (VGV), conjunto de dados essenciais para o acompanhamento do mercado.

“Com o apoio da CBIC e Senai Nacional, em 2015 contratamos uma empresa de consultoria para rodar o Brasil. Junto com dezenas de heroicos pesquisadores temos tentado melhorar as questões de estatísticas e de índices do mercado imobiliário para a formação de um indicador nacional”, explicou a origem do projeto o economista chefe do SECOVI-SP e líder da iniciativa, Celso Petrucci. Ao longo dos últimos anos, a Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da CBIC realizou diversas consultas de mercado para entender a dinâmica do mercado imobiliário das cidades e regiões abrangidas pelas pesquisas realizadas pelos SINDUSCONs, ADEMIs e pelo SECOVI-São Paulo.

Para melhorar as estatísticas da pesquisa, foram realizados, em várias localidades que não apuravam regularmente a totalidade dos empreendimentos existentes, censos da oferta de edifícios residenciais verticais. Esses censos foram concluídos no último bimestre de 2016 e complementam os levantamentos amostrais de censo que muitas entidades associadas à CBIC já faziam. Nessa etapa do trabalho foi necessário que os pesquisadores fizessem a configuração, ordenamento e classificação da informação, para consolidar um modelo de acompanhamento do mercado com a confiabilidade da informação originada em cada localidade.

Leia a matéria completa aqui.

Fonte: CBIC