Custo da construção civil juiz-forana cresce menos que a inflação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira, 7, o Índice Nacional da Construção Civil (INCC/Sinapi), que teve a inflação medida em 0,18% em janeiro, após uma alta de 0,43% em dezembro. O acumulado em 12 meses foi de 5,25%, menor que a taxa registrada nos 12 meses anteriores, de 5,68%.

De acordo com o IBGE, o custo nacional da construção alcançou R$ 857,21 por metro quadrado em janeiro, acima dos R$ 855,64 por metro quadrado estimados em dezembro. A parcela dos materiais variou 0,29%, enquanto o custo da mão de obra ficou em 0,07% em janeiro, ante 0,51% em dezembro.

Em Juiz de Fora, o CUB, Custo Unitário Básico, do setor ficou em 0,58%. O presidente do Sinduscon/JF, Leomar Delgado, destaca que o CUB não é diretamente comparável ao INCC: “São metodologias de trabalho diferentes, que não podem ser relacionadas a fundo”. Apesar disso, Leomar destaca uma característica em comum de ambos os índices: “Tanto o CUB-JF quanto o INCC estão abaixo da inflação para o mês de janeiro, que ficou em 0,86%. Isso confirma que o custo da construção civil, tanto em Juiz de Fora como no país, cresceu menos que a inflação do mês passado”, avalia o presidente.

Já de acordo com a Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), as vendas de material de construção tiveram queda de 3% em janeiro em relação ao mesmo mês em 2012. Segundo o levantamento, todos os materiais apresentaram recuo nas vendas na comparação com janeiro do ano passado, exceto revestimentos cerâmicos, argamassas e rejuntes, que começaram o ano com crescimento de 4% e 3% respectivamente. O segmento do comércio de materiais de construção fechou 2012 com crescimento de 3,5% sobre 2011, com faturamento de R$ 55 bilhões.