Construção Civil discute financiamento para infraestrutura

O setor da construção reforçou um canal de interlocução com os principais agentes financiadores de projetos de infraestrutura do País para ampliar a participação de empresas do setor de infraestrutura e de obras públicas em Concessões, Parcerias Público-Privadas (PPPs) e Locação de Ativos. A reunião realizada ontem pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) contou com a participação de representantes do BNDES, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e FI-FGTS, que apresentaram a disponibilidade de investimento de cada um desses agentes e suas condições para aprovação de financiamentos. A CBIC entende que as concessões e as PPPs podem acelerar o crescimento do setor da construção e ajudar o Brasil a sair da atual crise. “Esse momento vai passar e é importante que estejamos preparados”, destaca o presidente da entidade, José Carlos Martins, que acredita na construção desse diálogo franco. “Uma coisa é a percepção, outra é de fato como ela chega”, destaca.

Para o presidente da Comissão de Obras Públicas, Privatizações e Concessões (COP) da CBIC, Carlos Eduardo Lima Jorge, a reunião de ontem da COP/CBIC foi muito positiva e, apesar de ocorrer em um dia tenso e de extrema vulnerabilidade política e econômica para o Brasil, a numerosa presença de empresários e representantes de entidades nacionais do setor interessados em discutir a pauta de infraestrutura, com foco em financiamento, estruturação de projeto e investimento, demonstra o compromisso e a responsabilidade que têm com suas empresas, trabalhadores e o País, como um todo. “Ficou claro nesta reunião com os principais agentes financiadores do País (BNDES, Banco do Brasil, FI-FGTS e Caixa), a necessidade permanente de um diálogo entre o setor e esses agentes para ir construindo modelos que garantam a participação cada vez maior de concessões e PPPs”, destaca Lima Jorge.

O primeiro a expor foi o superintendente de Infraestrutura do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Nelson Fontes Siffert. Segundo ele, os desembolsos do BNDES na área de infraestrutura (2015 a 2018) representam mais de 1/3 do total dos recursos previstos para as outras áreas (indústria, agropecuária e comércio, serviços e setor público), mas ainda há espaço para crescer dentro do banco. A perspectiva de investimento do BNDES para o período de 2016 a 2019 na área de infraestrutura é de R$ 73 bilhões, sendo R$ 38 bilhões para o setor de rodovias; R$ 14,1 bilhões para o de ferrovias; R$ 9,9 bilhões para portos, e R$ 11 bilhões para aeroportos.

Leia matéria completa aqui.

Fonte: CBIC