Atividade e emprego na construção civil recuam em fevereiro

O nível de atividade e de emprego na construção civil recuaram em fevereiro, informou nesta quinta-feira (23) a Confederação Nacional da Indústria (CNI) com base em levantamento feito com entre 2 e 14 de março com 567 empresas do setor.

Segundo a entidade, o indicador de atividade somou 40,3 pontos em fevereiro, com alta de 1 ponto percentual em relação ao mês anterior, ao mesmo tempo em que o índice relativo ao número de empregados somou 38,9 pontos no mês passado, em comparação com 38,4 pontos em janeiro.

Apesar do aumento, ambos os índices continuaram abaixo dos 50 pontos, o que configura, segundo a metodologia utilizada pela CNI, queda tanto da atividade quanto do emprego no setor.

“Os índices de evolução do nível de atividade e de número de empregados variam de 0 a 100 pontos. Valores abaixo de 50 indicam queda da atividade e/ou do número de empregados em relação ao mês anterior”, explicou a Confederação Nacional da Indústria.

De acordo com a pesquisa, a utilização da capacidade de operação do setor atingiu o menor nível da série histórica (53%) em fevereiro. “O indicador encontra-se 2 pontos percentuais (p.p.) inferior ao observado em janeiro e 10 p.p. abaixo da média histórica para o mês de fevereiro”, acrescentou.

Ainda segundo o levantamento, os indicadores de expectativa caíram no mês de março, após duas altas consecutivas em janeiro e fevereiro. O indicador de expectativa do nível de atividade, por exemplo, diminuiu 1,2 pontos na passagem de fevereiro para março.

Já os indicadores de expectativa de novos empreendimentos e serviços e de compras de insumos e matérias-primas caíram, respectivamente, 0,5 e 1,2 ponto entre fevereiro e março.

“Os empresários da indústria da construção estão pouco propensos a investir. O indicador de intenção de investimento passou de 26,8 pontos em fevereiro para 26,6 pontos em março, permanecendo praticamente estável em patamar muito baixo”, informou a Confederação Nacional da Indústria.

Fonte: G1